sábado, 14 de maio de 2011

Moradores e comerciantes do Rio Vermelho e Lucaia também querem o VLT

Os moradores e comerciantes do Rio Vermelho e Lucaia estão preocupados com a movimentação da prefeitura  para realização do corretor de ônibus na região o que pode gerar desapropriações, derrubada de árvores acabando com o pouco verde que há, pavimentação asfáltica de grande área e as ameaças ao canal. Eles entendem que o VLT é o tipo de transporte adequado para ser utilizado já que é menos poluente, integrado com outros meios de transporte, necessita de menos espaço e não gerará desapropriação.

E algo muito grave está acontecendo: sonegação de informação do projeto do corredor de ônibus por parte da prefeitura. É a política do empurra-empurra, esconde-esconde, e vai ganhando tempo e fazendo como eles querem. Não podemos nos esquecer das mentiras na mídia publicadas por meios de comunicação vendidos.

Foi manifestado o interesse de reunião com os integrantes do movimento "Eu quero VLT em Salvador", estamos dispostos a contribuir com esta causa importante para a nossa cidade. Solicitamos que as pessoas interessadas a participarem desta luta se manifestem nos comentários ou encaminhem e-mail para vltemsalvador@gmail.com

A situação é grave! A nossa cidade não pode se restringir a um corredor de ônibus.

Matérias relacionadas:
Mentiras divulgadas na imprensa são contestadas por Wagner.
Pesquisa do IPEA indica o Metrô como melhor opção para Salvador.
Seminário Mobilidade em debate na ALBA

Faça a sua parte, por menor que seja, mas faça alguma coisa.


Amigas e amigos dos transportes sobre trilhos de Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari, Simões Filho e Região Metropolitana de Salvador.  Cada dia que passa há inúmeras manifestações de apoio à necessidade de melhoria da qualidade do transporte público, conforto, eficiência, ecologicamente correto, limpo, pontual, integrado, que preserve o verde do canteiro central da av. Paralela, que seja permanente para a cidade, e muitas outras qualidades.

O movimento "Eu quero VLT em Salvador" está crescendo muito e necessita crescer muito mais. Mas o tempo é curto e o poder financeiro dos que defendem o corredor de ônibus é grande e paga manifestações na mídia, só nos resta as redes sociais para crescermos e expandirmos a informação sobre as vantagens do Metrô/VLT.

Assim, solicitamos que cada participante da campanha lance uma meta individual de contribuição à campanha. Seja fazendo com que os seus amigos asssinem o manifesto que será entregue ao governador Jaques Wagner, ou fazendo com que os seus amigos sejam amigos no facebook, indicando as pessoas a lerem diariamente o blog, colocando os cartazes da campanha nos murais, participando presencialmente da campanha. Necessitamos criar as coordenações municipais nas cidades de Lauro de Freitas, Camaçari e Simões Filhos, e dos bairros de Cajazeiras e do Subúrbio de Salvador, os(as) interessados(as) favor enviar um e-mail para vltemsalvador@gmail.com. Caso você tenha interesse em criar alguma coordenação no seu bairro, condomínio ou empresa fale conosco. 


Assine aqui o manifesto e declare a sua opção pelo VLT, Metrô e Trem. Faça parte do movimento "Eu quero VLT em Salvador".
Facebook/vltemsalvador
Orkut/vltemsalvador 
Twitter/vltemsalvador
vltemsalvador.blogspot.com

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Secretário Estadual para assuntos da Copa diz que a solução é o Metrô



Enquanto o ministro das Cidades, Mário Negromonte (PP), e a prefeitura de Salvador tentam impor o sistema de Bus Rapid Transit (BRT) e outros até defendem a destruição do metrô, o secretário estadual para Assuntos da Copa, Ney Campello, vai na contramão e diz que Salvador precisa de um sistema metroviário. Preocupado com a questão da mobilidade urbana da cidade, ele até admite que haja implantação do BRT e do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), bem como opções sustentáveis como as ciclovias e ciclofaixas – em que o governo do Estado promete fazer o programa Cidade Bicicleta, com 200 km de vias até 2014 –, mas acredita que o caminho é o metrô. “Uma cidade pobre precisa de sistema de transporte de grande capacidade e alta velocidade. Quem não precisa de metrô é cidade de rico que vive só com carro. Uma cidade que tem 2,7 milhões de habitantes precisa de um transporte de massa e o metrô, em qualquer lugar do mundo, é assim. O metrô, inclusive, é subsidiado. Na França, em qualquer lugar da Europa ou mesmo nos Estados Unidos”, comparou, em entrevista ao programa Acorda pra Vida, da Rede Tudo FM. Para Campello, esta é a possibilidade de inserir os moradores na capacidade de circulação da cidade. “Se não faz isso, a população vai fazer o quê? Andar a pé? Nós temos que ter sim a malha metroviária; quanto maior melhor. Eu acho que a melhor opção para Salvador é a opção do metrô. É claro que é uma opção mais cara e, por isso, nós temos que ver com o governo do Estado e governo federal se podem se unir junto com a prefeitura para superar esse problema do investimento. Meu Deus do céu, nós somos a terceira maior cidade do país! Tem metrô em Fortaleza, metrô em Recife, no Rio, em São Paulo; tem metrô nas principais cidades brasileiras. Salvador vai ficar onde? Na Idade Média? Continuando esse sistema de transporte por ônibus, que é extremamente defasado? Não tenho dúvidas. Nós temos que caminhar para a solução do metrô”, apelou.


Fonte: Bahia Notícias

quinta-feira, 12 de maio de 2011

BRT na av. Paralela é exemplo de falta de planejamento urbano

Você já passou pelo corredor de ônibus do Iguatemi nos horários de pico? Já teve que correr algumas dezenas de metros na Estação de Transbordo do Iguatemi e ainda teve que pegar um ônibus superlotado que pra completar ainda ficou preso num congestionamento nessa via exclusiva que agora apelidaram de BRT? Pois é... essa grande "inovação tecnológica" de repente virou a solução para a mobilidade urbana em Salvador e ainda querem levá-lo para a Avenida Paralela. Pelo menos isso é o que deseja alguns setores da política baiana e principalmente os empresários de ônibus de Salvador que financiam o "projeto".

Ao contrário de cidades como Fortaleza, Recife, Natal, Maceió, ficando só aqui pelo Nordeste... que investem cada vez mais em transporte sobre trilhos (maior capacidade, mais rápidos e menos poluente), Salvador corre o risco de escolher um modelo rejeitado por especialistas sérios em transporte público e também pela própria população que é submetida diariamente a todo esse transtorno.

Para construir a via exclusiva pra ônibus (BRT) na Avenida Paralela utilizam como desculpa, o pouco tempo que há para atender os turistas que virão para os 3 ou 4 jogos da Copa em Salvador em 2014, quantidade de turistas essa, que não chegará nem a 15% do que Salvador recebe todos os anos durante o Carnaval. Os defensores do BRT esquecem que, depois que a Copa passar, a população de Salvador e Lauro de Freitas é quem terá que enfrentar os enormes engarrafamentos, superlotação de passageiros e as constantes colisões entre ônibus, como os da via exclusiva do Iguatemi ou BRT do Iguatemi, pra ser mais atual. O BRT é um sistema já testado e reprovado, poluente, de baixa capacidade e que só beneficiará de verdade aqueles que por alguma razão insistem em apoiá-lo.
BRT na av. Paralela
Fonte: http://mobsalvador.blogspot.com/

Campanha de conscientização, panfletagem e reunião


Convidamos a todos e todas a comparecerem no Centro de Convenções neste sábado durante o feirão de imóveis para uma campanha de conscientização, panfletagem e reunião do movimento "Eu quero VLT em Salvador" para traçarmos as nossas diretrizes. O horário será a partir das 14h na entrada do pavilhão de feiras, próximo ao apart-hotel Holiday Inn.

Assine aqui o manifesto a ser entregue ao governador Jaques Wagner.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Imbassahy concorda com o movimento "Eu quero VLT em Salvador"

O deputado federal Antônio Imbassahy demonstrou concordância com os princípios do movimento "Eu quero VLT em Salvador" que defende a predominância do transporte sobre trilhos (Metrô, VLT e Trem) na cidade de Salvador. Em entrevista registrada em sua página de internet ele expõe aquilo que concordamos plenamente: precisamos de Metrô, para locais de alta capacidade e VLT para locais em que a demanda seja menor. O movimento "Eu quero VLT em Salvador" parabeniza o deputado por seu posicionamento. 


"Nem BRT, nem VLT, Imbassahy defende o metrô de Salvador


A despeito da polêmica instalada sobre qual sistema intermodal de transporte se adequa mais às necessidades da capital baiana, atualmente, se o BRT ou VLT, o deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB) é taxativo: nem um, nem outro. No entendimento do parlamentar, o mais importante para a cidade e sua população, hoje, é a retomada do projeto original do metrô, com 12 quilômetros. Segundo o deputado, o governo federal cometeu uma grande injustiça com Salvador, ao mutilar o projeto, reduzindo à metade o alcance do metrô, na atual administração municipal. 

"O metrô precisa se estender até Cajazeiras, passando por Pau da Lima, região onde moram mais de 600 mil pessoas. Esse é o debate que precisa ser travado agora, apesar de o prefeito João Henrique já nem estabelecer mais prazos para dar início ao serviço, como fazia antes. Essa discussão sobre BRT ou VLT, neste momento, interessa mais a empresários ligados ao setor de transporte", dispara Imbassahy. 

O parlamentar entende que, num segundo momento, o VLT será muito mais interessante para atender a Salvador de amanhã, por oferecer maior capacidade de transporte e rapidez. "As cidades no mundo que estão se modernizando tem buscado esse tipo de modal, e não mais o ônibus. O BRT só aprofunda o atraso", conclui. 

O BRT (Bus Rapid Transit) é um sistema de ônibus de alta capacidade que provê um serviço rápido, confortável e eficiente, em corredores exclusivos. 

O VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), ou metrô de superfície, é uma espécie de trem ou comboio cujo equipamento e infra-estrutura são mais leves que os usados em sistemas de metrôs ou trens de longo curso." 



Fonte: http://www.antonioimbassahy.com.br/materiaIntegra.cfm?id=313

O dia em que a cidade de Salvador parou

Neste vídeo o Senador Walter Pinheiro inicia expondo sobre o caótico dia em que a cidade de Salvador parou em decorrência de movimento grevista dos rodoviários. Mas não os culpou, a cidade já está parada pelo péssimo sistema de transporte coletivo baseado exclusivamente em ônibus, pela grande utilização de veículos particulares e pela inexistência do Metrô.
video

O mais ridículo do que aconteceu naquele dia foi escutar em uma determinada rádio que informava sobre o caos que estávamos vivendo a ridícula mentira usada para esconder a greve dos rodoviários (que em momento algum foi citada): tudo foi causado por uma única sinaleira quebrada. Cuidemo-nos com a mídia que temos, há muita mentira publicada com a intenção clara e objetiva de desanimar as pessoas a se mobilizarem pelo VLT ou Metrô. Lembrem-se de que muitos jornalistas foram passear em Bogotá com tudo pago e as empresas em que trabalham vivem de propaganda da prefeitura e de interessados na manutenção do sistema de ônibus. Com certeza, há muito$  intere$$e$  envolvido$  ne$$a  $ituação.

Veja matérias relacionadas: 
Mentiras divulgadas na imprensa são contestadas por Wagner
Porque eles querem impedir Salvador de “entrar nos trilhos” certos?


Assine aqui o manifesto e declare a sua opção pelo VLT, Metrô e Trem. Faça parte do movimento "Eu quero VLT em Salvador".

Facebook/vltemsalvador 
Orkut/vltemsalvador 
Twitter/vltemsalvador
vltemsalvador.blogspot.com 
vltemsalvador@gmail.com
vltemsalvador.blogspot.com/p/manifesto.html

terça-feira, 10 de maio de 2011

João Henrique: desinformado e anti-evolucionista.

O prefeito de Salvador João Henrique Carneiro reconheceu ao jornal Bahia Notícias a sua incapacidade administrativa ao não dispor de um prazo para a entrega do Metrô de Salvador. Mas, inconcebível mesmo é a desculpa que dá: "a cultura local não está acostumada à obra pioneira, que foi uma quebra de paradigmas" e, pior que isso, é querer nos manter no atraso por toda a vida ao defender o corredor de ônibus para a av. Paralela: "O BRT se origina de uma cultura predominante, está dentro de uma cultura existente".

João Henrique demonstra a intenção clara, explícita e inequívoca em querer manter a cidade de Salvador no atraso em que está quanto à mobilidade urbana ao dizer que a construção do Metrô é uma “obra pioneira e quebra de paradigmas” e, ao mesmo tempo, defender o corredor de ônibus, que alguns chamam de BRT, ao invés de apoiar o transporte sobre trilhos (Metrô ou VLT) na av. Paralela.

Demonstra desinformação por desconhecer o estudo sobre mobilidade urbana realizado pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada) que conclui:
“Investimentos em metrô, VLT  – veículo leve sobre trilhos – e trem, que integram e comportam mais pessoas, são mais rápidos e poluem menos, podem ser soluções de melhor qualidade, se não for possível reduzir o contingente e a concentração populacional das metrópoles aferida hoje. Essas alternativas, aliadas ao incentivo do governo para promover novas modalidades de transporte, em substituição aos automóveis e ônibus, diminuiriam o fluxo de veículos, os atrasos, o desconforto da população e a emissão de gases poluentes na atmosfera, beneficiando a saúde pública.” 

Mas João Henrique não possui somente defeitos, também tem suas qualidades. Uma delas é a humildade ao reconhecer a sua incompetência administrativa quando diz: "imagine que seis quilômetros de metrô levaram onze anos para ficar(em) prontos”. Ora, sr. prefeito, estes seis quilômetros ainda não estão prontos e dos onze anos mais da metade, seis anos e cinco meses, são de sua responsabilidade. 

O movimento "Eu quero VLT em Salvador" defende o transporte sobre trilhos (Metrô, VLT e Trem) como o principal meio de transporte coletivo para a cidade de Salvador e Região Metropolitana. Participe, assine o manifesto e faça parte deste grupo que quer Salvador uma cidade moderna, livre de engarrafamentos e com transporte público de qualidade. 



Facebook/vltemsalvador 
Orkut/vltemsalvador 
Twitter/vltemsalvador
vltemsalvador.blogspot.com 
vltemsalvador@gmail.com

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Acidente com ônibus em Salvador: 31 pessoas feridas.

Um acidente entre dois ônibus deixou 31 pessoas feridas na manhã de ontem, na Avenida Otávio Mangabeira, no bairro de Jardim de Alah, sentido Centro. Os passageiros que sofreram apenas ferimentos leves foram socorridos por várias ambulâncias do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) e encaminhados para o Hospital Geral do Estado (HGE) e para o Jaar Andrade.

O acidente aconteceu em frente à antiga sede de praia do Esporte Clube Vitória, deixando o tráfego bastante congestionado na região. O ônibus da empresa São Cristóvão que fazia linha para Lapa colidiu contra a traseira do veículo da empresa Verdemar, que fazia linha Rio das Pedras/ Campo Grande.

Com o pescoço imobilizado, a passageira Vera Lucia que estava no coletivo da empresa Verdemar disse que ouviu apenas o barulho da batida. “Fiquei tonta com o impacto. Após o acidente, só dava para ouvir as pessoas gritando e pedindo socorro. Foi um momento horrível. Por pouco não aconteceu uma tragédia”, disse ela, que aguardava uma ambulância no local para ser encaminhada a uma unidade hospitalar.


A cobradora Marlene Souza, que também reclamava de dor, disse que cobrava a passagem de um rapaz no momento da colisão. Ela informou que após a batida não conseguiu ouvir nem ver mais nada. “Bati a cabeça no ferro do veículo. Quando percebi, havia muita gente no chão chorando e pedindo socorro. Nunca passei por uma situação dessas”, relatou a cobradora, que também aguardava atendimento do Samu.


O movimento "Eu quero VLT em Salvador" se solidariza com as vítimas e conclama os habitantes das cidades de Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari e Simões Filho a participarem ativamente das mobilizações que defendem o transporte sobre trilhos. Entregaremos um manifesto ao Governo do Estado da Bahia, assine-o agora!   Manifesto

Facebook/vltemsalvador 
Orkut/vltemsalvador 
Twitter/vltemsalvador
vltemsalvador.blogspot.com 
vltemsalvador@gmail.com 
Fonte: Tribuna da Bahia

domingo, 8 de maio de 2011

Mentiras divulgadas na imprensa são contestadas por Wagner

Declarações veiculadas na imprensa sobre o tipo de transporte a ser utilizado na av. Paralela e Lauro de Freitas davam como definido o corredor de ônibus, que algumas pessoas passaram a chamar de BRT. O governador Jaques Wagner desmentiu todos aqueles que querem calar o desejo da sociedade baiana pelo transporte sobre trilhos (Metrô, VLT - Veículo Leve sobre Trilhos, e Trem) como principal estrutura do sistema de transporte da Região Metropolitana de Salvador, em especial no trecho av. Paralela a Lauro de Freitas.

Este episódio deixa evidente o que todos nós já sabemos. A estratégia é calar a esperança do povo, manter o desconhecimento do debate sobre a possibilidade de implantação do Metrô ou VLT, usar a imprensa comprada para manipular a sociedade e tentar empurrar para nós um corredor de ônibus modelo década de 70.

Veja o texto publicado no jornal A Tarde (7/5):

Governador rejeita pressão por modelo

Assim, sugerimos que antes de repassar as notícias veiculadas na imprensa comprada dêem uma passada no blog do movimento "Eu quero VLT em Salvador" onde estará divulgado o que eles não querem expor para a sociedade baiana. Participe desta campanha, divulgue o nosso blog e mídias sociais, assine o manifesto a favor do transporte sobre trilhos.

Assine agora o manifesto, estamos com quase 4.000 assinaturas. 

Facebook/vltemsalvador
Orkut/vltemsalvador 
Twitter/vltemsalvador

vltemsalvador.blogspot.com 
vltemsalvador@gmail.com